jump to navigation

Destaques da Volta 19/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

Nuno Ribeiro (Liberty Seguros)

O português Nuno Ribeiro é um dos principais destaques desta Volta, não só porque venceu a Volta a Portugal em bicicleta, mas também porque bisou na corrida, porque já tinha vencido a prova, em 2003, exatamente em Viseu, tal como este ano. Em 10 anos só houve três vitórias portuguesas e as duas ultimas são do natural de Sobrado. Trepador de eleição, foi na 4ª etapa que atacou em conjunto com outros ciclistas na Barragem de Alvão para na chegada à Senhora da Graça vestir a camisola amarela para não mais a largar. Sabia que tinha de estar atento na chegada à Senhora da Assunção, o que fez, para não perder muito tempo para os restantes adversários. Dessa forma, chegou à etapa da Torre consciente que teria a oportunidade de consolidar a vantagem que tinha para ciclistas como Blanco e Bernabeu, que são bons no contra-relógio e que conseguiam retirar tempo a Ribeiro. E foi isso que fez, pois aproveitou um ataque de Cabreira, seguindo na sua roda, para depois deixar definitivamente par atrás o corredor da Aguçadoura, e alargar a vantagem face aos rivais para conseguir no contra-relógio de hje, confirmar a sua segunda vitória na maior prova velocipédica nacional, além de que conseguiu também vencer a classificação da montanha. Não era o lider natural de Américo Silva, mas provou ser o ciclista em melhor forma e mais capaz de conseguir o titulo para a Liberty Seguros.

David Blanco (Palmeiras resort-Tavira)

O ciclista galego da Palmeiras resort-Tavira era o principal homem de Vidal Fitas para a classificação geral e não defraudou as expetativas, já que não teve quaisquer sinais de quebra durante a prova, e esteve à altura dos acontecimentos, conseguindo a 2ª posição final. O facto de ele não ter acompanhado Ribeiro e companhia na fuga do Alvão revelou-se fatal para as aspirações do ciclista, além de que Ribeiro foi o melhor ciclista na montanha, não conseguindo acompanhar Ribeiro na montanha. Foi nas duas etapas de “verdadeira” montanha (4ª e 9ª etapas) que se poderá dizer que perdeu a Volta. É um ciclista talhado para este tipo de provas, visto ser um ciclista bastante completo, e prova disso, é a regularidade do ciclista comandado por Vidal Fitas. O duplo vencedor da Volta a Portugal ainda recuperou parte da desvantagem que tinha em relação ao lider, contudo não foi a suficiente para  conseguir arrancar do português a camisola amarela.

David Bernabeu (Barbot-Siper)

O comandado de Carlos Pereira foi o melhor da equipa na prova, ao contrário do expectável, porque era Bruno Pires o ciclista apontado à geral e Bernabeu poderia conseguir ficar, também, nos dez primeiros. Contudo, o português não se apresentou nas melhores condições nesta Volta e David Bernabeu que já venceu a prova em 2004, então na Maia-Milaneza, assumiu o protagonismo e a liderança n equipa para a classificação geral. Fez parte do grupo de Ribeiro e Cabreira a quando do ataque na Barragem do Alvão e apesar de ter perdido tempo na chegada a Senhora da Graça serviu para ficar no pódio e aí permanecer até final, no contra-relógio de Viseu. A chave da boa classificação do ciclista foi na etapa da Senhora da Graça, mas nunca esquecendo a boa prestação na etapa da Torre e, também, no contra-relógio, numa especialidade onde se sente à vontade. Não se destacou em alguma etapa em especial, fazendo da regularidade a arma para conseguir estar nos primeiros postos da geral.

João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow)

O lider do CC Loulé-Louletano-Aquashow foi o vencedor “moral” desta Volta. Teve uma época complicada, com suspensão de corrida, tendo regressado para conseguir ganhar uma etapa no Troféu Joaquim Agostinho. Chegou à Volta com ambição e sem pressão.  Venceu a etapa da Senhora da Graça, que se viria a revelar decisiva e o 5º posto na classificação geral é reflexo disso mesmo. Desde a etapa da Senhora da Graça até à etapa da Torre encontrava-se na vice-liderança da prova, e atacou na Torre para conseguir alargar a distância face aos adversários. Conseguiu distanciar-se na subida, em conjunto com Ribeiro, contudo viria a quebrar, perdendo tempo para os rivais. Ainda no 2º posto da geral em Viseu, era quase impossivel manter-se no pódio, face à qualidade dos opositores na luta contra o tempo. No contra-relógio final não conseguiria manter a sua boa classificação e baixaria para a 5º posição final, o que não invalida o excelente resultado que o português teve na prova. Foi o melhor da equipa algarvia e o 2º melhor português na prova.

Hector Guerra (Liberty Seguros), Bruno Pires (Barbot-Siper)

Os chefes de fila das equipas portuguesas desiludiram  na edição deste ano da prova. O espanhol foi a grande desilusão, já que nem nos 20 primeiros se conseguiu situar, perdendo demasiado tempo na Senhora da Graça para a luta pela Volta e na etapa da Torre trabalhou em prol do lider Nuno Ribeiro. Ainda conseguiu alcançar a vitória no contra-relógio de Viseu, minimizando os efeitos de uma prova que não correu bem ao espanhol, já que tinha dado mostras nas provas de véspera da Volta, estar num excelente momento de forma e que poderia pagar caro esse mesmo esforço. O português era o lider da equipa, secundado por David Bernabeu, e até à etapa da Senhora da Graça estava a confirmar o bom momento de forma, contudo, na 4ª etapa, estava no grupo da frente e foi dos primeiros a ficar para trás. As aspirações do português quanto à vitória na geral ou até a um bom resultado ficaram arredados, e mesmo depois do ataque na Senhora da Assunção que arrancou para conseguir a vitória, não conseguiu alcançar nenhum dos objetivos: nem vitória de etapa nem uma classificação dos 5 primeiros. Sai da Volta no 11º posto da classificação geral.

Tiago Machado (Madeinox-Boavista)

O ciclista português comandado por José Santos teve a melhor classificação de sempre na Volta a Portugal, isto porque conseguiu ficar no 7º posto. Era o lider da equipa e, este ano, dispunha de elementos como Santi Perez e Danail Petrov para o ajudarem em terrenos de alta montanha. Contudo o espanhol e o búlgaro não se apresentaram nas melhores condições e o português teve que se defender na alta montanha sozinho, e podemos dizer que não se saiu nada mal. Se na Senhora da Graça não se juntou ao grupo de Ribeiro, apenas porque José Santos assim não o quis, e perdeu tempo importante no que era respectivo à vitória na Volta. Mas seria na Torre, o teste real de Tiago Machado na alta montanha, e conseguiu terminar nos dez primeiros da etapa sem perder mais de dois minutos, o que lhe permitiu a entrada dos dez primeiros na geral e chegar ao seu terreno predilecto numa boa posição. O actual campeão nacional de contra-relógio conseguiu subir duas posições, ultrapassando os homens do Palmeiras, acabando no 7º posto. Ambicioso e determinado, conseguiu um bom resultado na Volta, nunca esquecendo que está a ser avalizada a sua contratação para equipas internacionais, nomeadamente Caisse D´Epargne, onde está o português Rui Costa.

Pedro Lopes (CC Loulé-Louletano-Aquashow), Oleg Chuzhda (Contentpolis-AMPO), Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista) e Helder Oliveira (Barbot-Siper)

Poderiam estar presentes mais ciclistas neste lote, mas destaco apenas estes porque foram os mais combativos e que mais em destaque estiveram durante toda a prova, e que embora, não conseguindo um resultado entre os 10,15 primeiros da geral, destacaram-se pela combatividade demonstrada e pela presença constante em fugas, nomeadamente, de Pedro Lopes, o algarvio esteve várias vezes presentes em fugas nesta Volta a Portugal, e que ainda conseguiu partir para a etapa da Torre nos dez primeiros. É de louvar a Volta que fez e conquistou o prémio da combatividade da Volta com todo o mérito. Oleg Chuzhda conseguiu, também, estar presente em várias fugas devido a luta na classificação da montanha, contudo, iria conseguir vencer a 8ª etapa e envergar a camisola da Juventude por um dia na etapa da Torre. Um prémio para ele e para a equipa. Sérgio Sousa e Helder Oliveira foram os grandes protagonistas da luta pela montanha, já que quase diariamente, ora um, ora ambos se encontravam na fuga do dia, de forma a conseguirem pontuar nas várias contagens de montanha. Sergio Sousa foi o lider da montanha desde a 3ª etapa até à penúltima etapa, mas Ribeiro foi quem venceu o prémio de melhor trepador. Mas é destacar o papel de estes dois ciclistas durante esta Volta, onde mostraram a sua capacidade nos terrenos de média montanha e a deram bastante visibilidade aos seus patrocinadores devido à sua combatividade.

Joaquim Andrade (LA-Rota dos Móveis)

O veterano ciclista vai marcar presença no livro dos recordes “Guiness Book” porque conseguiu marcar presença em 21 edições da Volta consecutivas e além disso, terminou todas essas edições. No dia de ontem, fez 40 anos de idade e diz que vai abandonar a carreira, lamentando nunca ter envergado a camisola amarela por um dia que seja numa Volta a Portugal. Numa carreira recheada de vitórias, não só em Portugal como no estrangeiro, o ciclista português conseguia-se defender em todos os terrenos mas o contra-relógio era a sua principal arma, onde conseguia fazer a diferença para os restantes ciclistas. Nesta Volta esteve um tanto ao quanto discreto, mas ainda pôde ser visto numa ou duas fugas desta Volta. Terminou a prova num honroso 39º lugar da classificação geral, a cerca de 40 minutos de Nuno Ribeiro. Parabéns Joaquim Andrade!!

Alessandro Petacchi (LPR Brakes) e Damiano Cunego (Lampre-NGC)

Os dois ciclistas italianos vieram correr a Volta na perspectiva de se preparem para objectivos maiores, sendo que o “sprinter” poderia encarar a corrida com mais convicção, visto que não iria ter objectivos prioritários a curto prazo, como tem Damiano Cunego, que vai correr a Vuelta e vai participar no Mundial. Contudo, tanto Damiano Cunego como Alessandro Petacchi não tiveram uma prestação de qualidade, passando completamente ao lado da corrida. Damiano Cunego disponha de uma prova com muita montanha, onde poderia obter alguns resultados interessantes, como obteve, por exemplo na chegada à Guarda, mas depois dessa chegada nunca mais teve uma classificação digna de registo, tendo desistido na última etapa. Relativamente a Petacchi conseguiu terminar a Volta, mas não conseguiu qualquer vitória de etapa, nem sequer conseguiu estar nos 3 primeiros. É certo que não existiam muitas chegadas a seu jeito, contudo não se apresentou na melhor forma na corrida portuguesa.

Liberty Seguros vs. Palmeiras resort-Tavira

As duas equipas portuguesas seriam aquelas que, à partida iam protagonizar, a luta pela classificação geral individual e foi isso que se passou. Eram as melhores equipas na Volta a Portugal, traziam ciclistas para todos os terrenos, inclusive, capazes de vencer a Volta. E foi isso que se passou durante a prova. Na classificação geral, Nuno Ribeiro (Liberty Seguros) venceu a prova, e o seu colega de equipa ficou em 4º lugar, enquanto a Palmeiras resort-Tavira, conseguiu colocar Blanco (2º) no pódio, e ainda colocou Nelson Vitorino (8º) e André Cardoso (9º). No que diz respeito a vitórias de etapas, a Liberty Seguros venceu três etapas (Manuel Cardoso, Nuno Ribeiro e Hector Guerra venceram uma etapa cada) e a Palmeiras resort-Tavira venceu duas etapas por intermédio de Cândido Barbosa. A equipa algarvia ainda venceu a classificação colectiva e Cândido Barbosa venceu a classificação dos pontos, e a Liberty Seguros, com Nuno Ribeiro foi considerado o melhor trepador na prova, vencendo a classificação da montanha. Por fim, de referir que estas duas equipas foram as únicas que tiveram ciclistas seus a vestir a camisola amarela. Se no Palmeiras resort-Tavira, Cândido Barbosa andou três dias de amarelo, na Liberty Seguros foi Manuel Cardoso, por um dia e Nuno Ribeiro andou seis dias de amarelo até ser consagrado em Viseu, como vencedor final.

CC Loulé-Louletano-Aquashow

A equipa comandada por Jorge Piedade foi uma das grandes vencedoras da prova deste ano. Com um dos orçamentos mais baixos do pelotão nacional, e por consequência, da prova feez uma prova de qualidade baseada em dois trepadores: o português João Cabreira e o espanhol Eladio Jimenez, embora nunca esquecendo a magnifica prova de Pedro Lopes. O ciclista algarvio esteve presente em várias fugas nas etapas da Volta, com algumas vezes a subir ao pódio, como prémio da combatividade, mas teve a correspondência com o prémio final da combatividade. João Cabreira e Eladio Jimenez venceram, cada um, uma etapa, com Cabreira a vencer na Senhora da Graça e Jimenez a vencer na Senhora da Assunção. João Cabreira ainda esteve na disputa da Volta até à etapa da Torre, não conseguindo no final terminar no pódio, ficando no 5º posto e o espanhol terminou na posição seguinte da classificação individual. De realçar a boa prestação do jovem Daniel Silva na primeira metade da Volta, prejudicado por uma queda na 6ª etapa, o que o fez perder muito tempo.

Ciclistas portugueses

A Volta deste ano evidenciou, sobretudo, ciclistas portugueses na luta pelas etapas e classificações. Mas podemos dividir a participação portuguesa em duas metades. Até ao dia de descanso, os portugueses dominaram quase por completo a Volta a Portugal. Em 5 etapas, os portugueses venceram 4 etapas, pois não conseguiram vencer a 3ª etapa. Monopolizaram as várias classificações, sendo que foram só portugueses que vestiram a camisola amarela este ano. Após o dia de descanso, só Nuno Ribeiro conseguiu a vitória no alto da Torre, sendo o único português a ter ganho uma etapa após o repouso. No final, todas as classificações foram ganhas por ciclistas portugueses: geral e montanha, por Nuno Ribeiro, pontos por Cândido Barbosa, juventude por Tiago Machado e a classificação colectiva foi ganha pela Palmeiras resort-Tavira. Nos dez primeiros da classificação geral individual final, estão presentes 5 ciclistas portugueses com Nuno Ribeiro, como vencedor e João Cabreira como 5º classificado, como os melhores classificados. 

Etapa da Senhora da Graça

Na teoria e à partida, seriam as duas ultimas etapas que iriam definir e decidir a classificação geral da edição deste ano da Volta a Portugal. Mas a Volta deste ano dispunha de 5 chegadas em alto e dois contra-relógios  pelo que qualquer deslize dos candidatos numa destas etapas poderia sair muito caro e dessa forma ficarem arredados da luta pela classificação geral. Mas se a etapa da Torre vinha só no penúltimo dia, os ciclistas poderiam jogar cartadas decisivas no futuro da classificação. E assim, a 4ª etapa que terminou na subida do Monte Farinha, na Senhora da Graça, foi a mais decisiva nas contas da Volta, já que ciclistas como Ribeiro, Cabreira, Bernabeu, Jimenez, Vitorino ou Cardoso atacaram na Barragem do Alvão para conseguirem uma vantagem interessante, que lhes permitiu assegurar um lugar nos dez primeiros da Volta. A Liberty Seguros atacou a corrida, e todos os outros conjuntos nacionais, à excepção da Madeinox-Boavista aproveitaram para colocar ciclistas no grupo de Ribeiro e fazer desta etapa, uma etapa com emoção e com história, o que permitiu a Nuno Ribeiro vestir a amarela para não mais a largar até final.

Constantino Zaballa (LA-Rota dos Móveis) e Nelson Rocha (Madeinox-Boavista)

Foi uma das situações mais negativas desta Volta. Na 9ª etapa, estava muito em jogo e a classificação da montanha era uma das classificações que ainda não estava definida e existiam vários ciclistas que estavam na luta pelo prémio de melhor trepador. Assim, Constantino Zaballa, que era um dos ciclistas que poderia estar na luta pela montanha, vence a subida de 3ª categoria, no Luso, e consegue entrar na fuga certa para conseguir amealhar o maior número de pontos possivel, de forma a puder vencer a classificação no final. Contudo no alto de Carrazedo, de 1ª categoria, quem passa em primeiro é Nelson Rocha que estava a defender a posição do lider, Sérgio Sousa que era seu companheiro de equipa, ficando em 2º, Constantino Zaballa. O ciclista ficou desagradado com a situação e após a passagem na contagem de montanha, atira um bidão de água à cabeça do português, que respondeu tentando agredir com o braço. Poderiam ter sido suspensos da corrida, mas levaram com um minuto de penalização cada.

Cândido Barbosa (Palmeiras resort-Tavira)

O ciclista natural de Rebordosa teve uma Volta, um tanto ao quanto discreta, no que diz respeito à classificação geral individual e na luta por uma boa classificação, mas conseguiu, como nestes ultimos anos, duas vitórias de etapa e a camisola branca, representativa da classificação dos pontos. Ainda conseguiu vestir a amarela, fruto das vitórias no Prólogo em Lisboa e na 2ª etapa da Guarda, contudo na 4ª etapa, na chegada a Senhora da Graça hipotecou as aspirações a uma boa classificação. O “Foguete de Rebordosa” conseguiu subir todos os dias ao pódio da Volta e foi o único ciclista a conseguir este feito, além de que é o ciclista que conseguiu vencer mais vezes a classificação dos pontos, sendo a oitava vez que sobe no último dia da Volta, para envergar a camisola respectiva da classificação dos pontos.

Anúncios

Nuno Ribeiro vence Volta a Portugal 2009 16/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

O português Nuno Ribeiro, da Liberty Seguros, é o grande vencedor da 71ª Volta a Portugal em bicicleta, depois do contra-relógio percorrido em Viseu e foi secundado por David Blanco (Palmeiras resort-Tavira), que ficou na 2ª posição e David Bernabeu (Barbot-Siper) em 3º lugar no pódio final da edição 2009. O vencedor do contra-relógio de hoje foi Hector Guerra, pertencente à equipa da Liberty Seguros, que culminou a sua prestação nesta Volta com a vitória de etapa, já que no diz respeito à correspondência das aspirações da geral da Volta ficou aquém das expetativas. De referir que neste contra-relógio apenas o vencedor da Volta, Nuno Ribeiro e Tiago Machado (Madeinox-Boavista) conseguiram ficar nos dez primeiros da etapa. Contudo, os portugueses levam todas as camisolas para casa das respectivas classificações, conseguindo vencer 5 etapas desta Volta, enquanto 6 estrangeiros conseguiram levar de vencida etapas neste Volta.

Classificações Completas:

Classificação da 10ª etapa:

1º  11  GUERRA, Hector          ESP  LIBERTY SEGUROS       0:38:52     
   2º   1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI a     09     
   3º  13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS      a     35     
   4º  94  TERUEL, Eloy            ESP  CONTENTPOLIS-AMPO    a     38     
   5º  31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA    a     42     
   6º  44  BERNABEU, David         ESP  BARBOT-SIPER         a     43     
   7º 132  HONDO, Danilo           GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR a     55     
   8º   7  MARQUE, Alejandro       ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI a     57     
   9º  15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS      a  01:02     
  10º 139  KOZUBEK, Stanislav      CZE  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR a  01:08     

Classificação Geral Individual Final:

1º  15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS          41:10:22
   2º   1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:24
   3º  44  BERNABEU, David         ESP  BARBOT-SIPER           a    01:36
   4º  13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS        a    02:08
   5º  51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a    02:53
   6º  52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a    03:08
   7º  31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA      a    03:22
   8º   3  VITORINO, Nelson        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    04:20
   9º   6  CARDOSO, Andre          POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    05:12
  10º 131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR   a    06:13

Classificação dos Pontos:

1º    2  BARBOSA, Candido        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI  81 P.
2º  132  HONDO, Danilo           GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  77 P.
3º   13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS       63 P.
4º    1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI  62 P.
5º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       60 P.
6º   11  GUERRA, Hector          ESP  LIBERTY SEGUROS       53 P.
7º   18  CARDOSO, Manuel         POR  LIBERTY SEGUROS       50 P.
8º   52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO  45 P.
9º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO     43 P.
10º   56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  42 P.

Classificação da Montanha:

1º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       41 P.
2º   35  SOUSA, Sergio           POR  MADEINOX BOAVISTA     37 P.
3º   22  ZABALLA, Constantino    ESP  L.A. – ROTA DOS  MOV  35 P.
4º   46  OLIVEIRA, Helder        POR  BARBOT-SIPER          33 P.
5º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO     29 P.
6º    1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI  26 P.
7º  138  MARES, Martin           CZE  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  26 P.
8º   52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO  25 P.
9º   13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS       25 P.
10º   51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  22 P.

Classificação da Juventude:

1º   31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA         
2º   39  ROCHA, Nelson           POR  MADEINOX BOAVISTA         
3º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO         
4º   17  RODRIGUES, Vitor        POR  LIBERTY SEGUROS           
5º   87  SALERNO, Cristiano      ITA  LPR BRAKES                
6º  115  ROLDAN, Jose L.         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
7º   55  SILVA, Daniel           POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO      
8º   47  PINTO, Bruno            POR  BARBOT-SIPER              
9º   38  BENTA, Joao             POR  MADEINOX BOAVISTA         
10º   96  REIG, Ruben             ESP  CONTENTPOLIS-AMPO         

Classificação por equipas:

 1º  PALMEIRAS RESORT-PRIO        PRT  123:36:04
2º  LIBERTY SEGUROS              LSE  123:38:35
3º  BARBOT-SIPER                 BSP  123:46:20
4º  C.C.LOULÉ- LOULETANO         CCL  123:50:03
5º  L.A. – ROTA DOS  MOVEIS      FRM  124:00:49
6º  MADEINOX BOAVISTA            MAD  124:01:14
7º  LAMPRE – N.G.C.              LAM  124:22:11
8º  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR         PSK  124:22:51
9º  ANDALUCIA-CAJASUR            ACA  124:48:42
10º  LPR BRAKES                   LPR  125:03:47
11º  ISD-NERI                     ISD  125:20:45
12º  Landbouwkrediet-COLNAGO      LAN  125:23:07
13º  CONTENTPOLIS-AMPO            MCO  125:31:22
14º  XACOBEO GALICIA              XAC  125:53:10

 

10ª etapa: Contra-relógio vai coroar Nuno Ribeiro? 16/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

viseu

Pessoalmente penso que sim. Nuno Ribeiro será o vencedor final da edição 2009 da Volta a Portugal em bicicleta. Contudo só depois de percorridos os 30,8 quilómetros do contra-relógio é que se saberá se o português revalidar o titulo que já havia conquistado em 2003, depois de ter vencido na Torre e de ter gerido a vantagem no contra-relógio. O contra-relógio é relativamente, mais curto, do que o percorrido no ano passado e até em comparação a outros anos. No que diz respeito ao percurso, é um contra-relógio, praticamente plano, sendo a parte inicial com uma ligeira subida, que terminará sensivelmente quando os ciclistas estiverem perto do Aerodromo, sendo que depois irão fazer o percurso de regresso onde será num falso plano, em descida, ou seja, é um percurso talhado para contra-relogistas e para ciclistas que se apresentem em boa forma, já que é um percurso para ciclistas com força.

viseu

É um percurso onde ciclistas como David Blanco (Palmeiras resort-Tavira), Tiago Machado (Madeinox-Boavista), Ruben Plaza (Liberty Seguros), e até o último classificado, Eloy Teruel (Contentpolis-AMPO) poderão ter uma palavra a dizer neste tipo de luta contra o tempo. Se David Blanco ou Ruben Plaza têm possibilidade de vencer a etapa, chegar à amarela, afigura-se mais complicado e dificil. Nuno Ribeiro tem uma vantagem confortável, de mais de 2 minutos para ambos, e mesmo David Bernabeu que é um bom contra-relogista, não irá conseguir vestir a amarela no final. E se na amarela não irá ser outro dono senão Nuno Ribeiro, sobre os restantes lugares do pódio vão existir alterações. João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow) não irá ter muitas chances de continuar no pódio face a bons contra-relogistas como Blanco e Plaza, e o mesmo poderá se adequar a Bernabeu (Barbot-Siper), se estiver num dia menos bom.

Curiosidades:

  1. Quem ganha o contra-relógio, nunca venceu a geral da Volta, embora marque presença nos dez primeiros da Volta (últimos 6 anos).
  2. O camisola amarela final consegue ficar sempre nos lugares do pódio da etapa (últimos 6 anos)

Prognóstico da etapa: David Blanco (Palmeiras resort-Tavira)

Prognóstico da Volta: 1º Ribeiro; 2º Blanco; 3º Plaza; 4º Bernabeu; 5º Machado

Nuno Ribeiro ganha na Torre e sentencia corrida 15/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

Nuno Ribeiro (Liberty Seguros) venceu a etapa-rainha da prova, e consolidou a vantagem que já tinha para os principais adversários para dessa forma, estar quase garantida a vitória na Volta. O português aproveitou um ataque de João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow) a 17 quilómetros da meta, e juntos conseguiram arrancar uma vantagem de 40 segundos sobre um grupo onde vinha os principais ciclistas liderado pela Palmeiras resort-Tavira. Contudo, mais à frente, Nuno Ribeiro deixa João Cabreira para trás, e parte para a vitória na etapa, tendo ganho 25 segundos ao segundo classificado, David Blanco (Palmeiras resort-Tavira) e 34 segundos para Ruben Plaza (Liberty Seguros).

torre

Foi uma etapa movimentada, no inicio, devido à luta pela classificação da montanha, e com a existência de uma contagem de montanha de 3ª categoria era natural que os ciclistas iriam tentar estar presente nos lugares da frente, como o lider Sergio Sousa (Madeinox-Boavista) ou Helder Oliveira (Barbot-Siper) e foi isso que ocorreu, embora na primeira contagem fosse Constantino Zaballa a ficar em primeiro posto. Depois formou-se a fuga do dia, onde estavam presentes 11 ciclistas: Constantino Zaballa (LA-Rota dos Móveis), Nelson Rocha (Madeinox-Boavista), Bruno Pinto (Barbot-Siper), Pablo de Pedro (CC Loulé-Louletano-Aquashow), Emanuele Bindi (Lampre-NGC), Iban Mayoz (Xacobeo-Galicia), Javier Ramirez (Andalucia-Cajasur), Bert Scheirlinckx e Kevin Neirynck (Landbouwkrediet-Colnago), Danilo Hondo e Martin Mares (PSK-Whirlpool). O alemão Danilo Hondo fez questão de passar em primeiro nas três metas volantes da etapa, o que fez com que diminuisse a vantagem com que Cândido Barbosa geria na classificação dos pontos. Mas era a luta pela montanha que “aquecia” a etapa nesta primeira fase, e com Constantino Zaballa na frente, iria ser o principal objectivo do espanhol conseguir passar em primeiro no alto do carrazedo, o que não aconteceu porque Nelson Rocha (Madeinox-Boavista), companheiro de equipa do lider, conseguiu ser o primeiro na contagem de 1ª categoria e fez com que o ciclista espanhol ficasse a dois pontos de Sergio Sousa. E é depois da passagem no alto que se dá um episódio menos bom desta Volta. Constantino Zaballa ficou irritado por Nelson Rocha ter ficado na frente na contagem de montanha, sem o ter ajudado, e quando o português não tinha esse objectivo pessoal. Contudo era um objectivo da equipa de José Santos e Nelson Rocha, a mando do director desportivo, conseguiu passar primeiro do qúe Zaballa, e o espanhol na descida atinge o português com um bidon no capacete, reagindo depois Nelson Rocha. Essa situação de corrida pode valer penalizações e, inclusive, a própria expulsão da corrida. Os fugitivos ainda conseguiram iniciar a subida na frente de corrida, mas a Liberty Seguros, com Filipe Cardoso, ia impondo um ritmo forte e por isso, não foi possivel manter a curta vantagem que tinham à entrada em Seia. Depois de Filipe Cardoso, Hector Guerra entrou ao trabalho na equipa da Liberty na frente do pelotão mas foi o trabalho de Rui Sousa que fez com que vários ciclistas descolassem e ficassem em dificuldades para o que restava de subida, ou seja, cerca de 20 quilómetros. Mas ainda faltavam 17 quilómetros e João Cabreira mexe na corrida. Ataca no grupo de fugitivos e apenas o lider da Volta a Portugal, Nuno Ribeiro o consegue acompanhar, o que fez com que a equipa do Palmeiras com 5 elementos nesse grupo fosse para frente de forma a tirar da vantagem que os ciclistas poderiam conseguir. 40 segundos foi a vantagem máxima e quando a vantagem começou a diminuir face aos do grupo principal, Nuno Ribeiro deixa o vice-lider para trás, e seguiria sozinho para a vitória. O colega de equipa Ruben Plaza atacava no grupo da traseira, inexplicavelmente, já que o lider, também atacava e estava na frente, contudo colocou David Bernabeu e David Blanco a trabalharem na frente e a desgastarem-se. David Blanco ainda teve um percalço mecânico, o que se fez atrasar um pouco, mas em conjunto com Eladio Jimenez conseguiu colar aos da frente. Enquanto na frente, Ribeiro pedalava rumo à vitória, Cabreira esperava pelo grupo principal de Blanco e Bernabeu, e onde podia aproveitar o trabalho de Eladio Jimenez que foi para a frente do grupo recuperar alguma vantagem para o lider. Mas ocorreu outra situação inexplicável, já que Cabreira nem com o ritmo do grupo imposto pelo colega de equipa conseguia ir, e Jimenez, em vez de esperar por Cabreira, que era o melhor ciclista da equipa, seguiu com os principais ciclistas. David Blanco aproveitou a passagem ao último quilómetro para atacar e recuperar tempo face ao lider Nuno Ribeiro, e em conjunto com o galego, foi Ruben Plaza, que à chegada perderia apenas 9 segundos para o galego. Nuno Ribeiro conseguiu aumentar a vantagem em 29 segundos para Blanco que, em conjunto com Bernabeu, será o principal opositor para o contra-relógio de Viseu. Contudo, Ribeiro dispõe de uma vantagem de 1.55 m. para Bernabeu e mais de 2 minutos para Blanco, pelo que só uma queda ou um problema mecânico o poderá impedir de vencer a Volta.

 torre

Classificações Completas:

Classificação da 9ª etapa:

1º  15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       4:20:51   10″
2º   1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI a     26    6″
3º  13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS      a     35    4″
4º  52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO a     44      
5º  44  BERNABEU, David         ESP  BARBOT-SIPER         a     48      
6º   3  VITORINO, Nelson        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI a  01:17      
7º   6  CARDOSO, Andre          POR  PALMEIRAS RESORT-PRI a  01:17      
8º  31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA    a  01:23      
9º  51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO a  01:52      
10º  61  CUNEGO, Damiano         ITA  LAMPRE – N.G.C.      a  02:13     

Classificação Geral Individual:

1º  15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS          40:30:28
2º  44  BERNABEU, David         ESP  BARBOT-SIPER           a    01:55
3º  51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a    02:09
4º   1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    02:17
5º  13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS        a    02:35
6º  52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a    02:47
7º   6  CARDOSO, Andre          POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    03:05
8º   3  VITORINO, Nelson        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    03:16
9º  31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA      a    03:42
10º 131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR   a    05:24

Classificação dos Pontos:

1º    2  BARBOSA, Candido        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI  81 P.
2º  132  HONDO, Danilo           GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  71 P.
3º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       58 P.
4º   18  CARDOSO, Manuel         POR  LIBERTY SEGUROS       50 P.
5º   13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS       47 P.
6º   52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO  45 P.
7º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO     43 P.
8º   56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  42 P.
9º    1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI  42 P.
10º  131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  31 P.

Classificação da Montanha:

1º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       41 P.
2º   35  SOUSA, Sergio           POR  MADEINOX BOAVISTA     37 P.
3º   22  ZABALLA, Constantino    ESP  L.A. – ROTA DOS  MOV  35 P.
4º   46  OLIVEIRA, Helder        POR  BARBOT-SIPER          33 P.
5º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO     29 P.
6º    1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI  26 P.
7º  138  MARES, Martin           CZE  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  26 P.
8º   52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO  25 P.
9º   13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS       25 P.
10º   51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  22 P.

Classificação da Juventude:

1º   31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA         
2º   39  ROCHA, Nelson           POR  MADEINOX BOAVISTA         
3º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO         
4º   17  RODRIGUES, Vitor        POR  LIBERTY SEGUROS           
5º   87  SALERNO, Cristiano      ITA  LPR BRAKES                
6º  115  ROLDAN, Jose L.         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
7º   55  SILVA, Daniel           POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO      
8º   47  PINTO, Bruno            POR  BARBOT-SIPER              
9º   38  BENTA, Joao             POR  MADEINOX BOAVISTA         
10º   96  REIG, Ruben             ESP  CONTENTPOLIS-AMPO         

Classificação por equipas:

1º  PALMEIRAS RESORT-PRIO        PRT  121:37:07
2º  LIBERTY SEGUROS              LSE  121:40:22
3º  BARBOT-SIPER                 BSP  121:44:36
4º  C.C.LOULÉ- LOULETANO         CCL  121:47:33
5º  L.A. – ROTA DOS  MOVEIS      FRM  121:56:53
6º  MADEINOX BOAVISTA            MAD  121:58:03
7º  LAMPRE – N.G.C.              LAM  122:14:41
8º  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR         PSK  122:22:21
9º  ANDALUCIA-CAJASUR            ACA  122:37:39
10º  LPR BRAKES                   LPR  123:00:02
11º  ISD-NERI                     ISD  123:12:31
12º  Landbouwkrediet-COLNAGO      LAN  123:15:51
13º  CONTENTPOLIS-AMPO            MCO  123:25:03
14º  XACOBEO GALICIA              XAC  123:44:24

podiotorre
(FOTOS:PAD)

9ª etapa: Torre será o prato forte e vai mostrar quem poderá vencer em Viseu 14/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

E o que dizer da penúltima ligação da Volta? É só a etapa mais dificil, no que diz respeito às dificuldades orográficas, e a que poderá decidir mais, tanto na classificação geral, seja na luta do pódio ou até mesmo da Volta. Uma coisa é certa, a classificação da montanha e dos pontos já estarão atribuidos no final desta etapa, e tudo indica que ficarão vestidas em ciclistas portugueses.

9etapa

Mas não será esse o ponto fulcral da etapa de Sábado. A luta pela etapa e pela classificação geral marcará as inicidências da corrida durante os 154,6 quilómetros que os ciclistas vão percorrer desde Oliveira do Bairro até aos 1993 metros de altitude no Alto da Torre. Se é a etapa mais curta no que diz respeito a etapas em linha, tem nas subidas o principal destaque e será nessas contagens de montanha, que se vai jogar muito da etapa e da Volta. Aos 22,5 quilómetros estará a primeira contagem de montanha da etapa, no Luso, de 3ª categoria, e assistir-se-á aqui, à primeira luta no que respeita à classificação da montanha. A partir daí, os ciclistas vão em direcção à Serra da Estrela, tendo duas metas volantes, na Tábua e em Alvoco das Várzeas, tendo depois, a subida a Carrazedo (1ª categoria), uma escalada de 9,7 quilómetros a uma pendente média de 6,8%. Em 2007, a etapa era similar e Manuel Zeferino colocou toda a sua equipa (LA-MSS) a trabalhar nesta mesma subida de forma a desgastar a corrida e para que nem todos conseguissem chegar juntos no pelotão, o que lhe permitiu lançar depois na Torre, Xavier Tondo que vestiria a amarela no final da etapa para não largar em Viseu. E este ano, a subida poderá configurar uma táctica semelhante à praticada por Zeferino em 2007, ou até por Américo Silva, na etapa da Senhora da Graça deste ano.

torre

Se no alto do Carrazedo irá passar um grupo restrito de ciclistas com os principais ciclistas, será no alto da Torre que tudo se vai decidir. Nos últimos 55 quilómetros de etapa, 38,5 serão feitos em subida e os trepadores é quem passarão pela frente na subida de 1ª categoria e quem conseguirá chegar no ponto mais lato de Portugal continental. A descida será feita até Seia, onde existe a última meta volante e será aqui que começa a subida do Alto da Torre, à falta de 28,5 quilómetros. Os ciclistas vão demorar mais de uma hora a fazer esta subida, isto porque é a quilometragem, o factor mais decisivo desta subida, já que em termos de percentagem média será de 5%, embora existindo períodos de 13%. É uma subida para trepadores puros, onde nem todos os ciclistas se conseguem adaptar bem, e se a temperatura estiver elevada, poderá colocar em dificuldades alguns ciclistas. É uma escalada mítica desta Volta, onde se vai decidir quem poderá lutar pela classificação geral individual e do pódio da edição de 2009.

torre

E quem é que estará na luta pela camisola amarela? Obviamente que o actual camisola amarela, Nuno Ribeiro (Liberty Seguros) e o segundo classificado, João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow) que está a 7 segundos do lider, são os dois principais ciclistas que irão estar na luta pela classificação geral, e que face às suas caracteristicas de trepador poderão aumentar a vantagem para os seus adversários. Contudo, não poderemos esquecer outros ciclistas para a luta pela classificação geral. David Bernabeu, da Barbot-Siper poderá sair da Torre numa posição vantajosa tendo em vista a vitória na Volta, em Viseu, ele que já ganhou em 2004; Patrik Sinkewitz (PSK-Whirlpool) mostrou, já nesta Volta, que está presente para lutar pela Volta e estará nos primeiros postos na etapa da Torre para que no contra-relógio consiga ter alguma vantagem em relação aos favoritos; nunca esquecer, também, o vencedor do ano passado, David Blanco (Palmeiras resort-Tavira) e o campeão espanhol da prova de fundo, Ruben Plaza (Liberty Seguros) sendo que o primeiro defende-se melhor que o segundo na alta montanha e Blanco terá que atacar nesta etapa, para que consiga ganhar tempo aos adversários mais directos. Tiago Machado (Madeinox-Boavista), Ruslan Pidgornyy (ISD-Neri), Virgilio Santos (LA-Rota dos Móveis) e Eladio Jimenez (CC Loulé-Louletano-Aquashow) também serão ciclistas que estarão na frente no final da etapa e, nomeadamente, na subida da Torre e poderão ser considerados como “outsiders” nesta escalada e, também no qeu diz respeito à geral da Volta.

Curiosidades:

  1. O último português a ter vencido na Torre foi…Nuno Ribeiro. E foi também o último vencedor final a conseguir a vitória no ponto mais alto de Portugal continental.
  2. Nos ultimos dez anos todos os vencedores no alto, vestiram a camisola amarela e conseguiram marcar presença nos dez primeiros da geral.

Prognóstico: Nuno Ribeiro (Liberty Seguros)

Oleg Chuhzda dá a primeira vitória à Contentpolis-AMPO na Volta 14/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

Na chegada a Aveiro, Oleg Chuhzda (Contentpolis-AMPO) venceu de forma isolada a 8ª etapa desta Volta, que antecede a etapa rainha da prova e, desse modo, conseguiu dar uma vitória a uma equipa que tem sido marcada pelas desistências, que já são 4 dentro da equipa. O ciclista ucraniano conseguiu-se destacar dos restantes elementos da fuga, que se formou, muito cedo, ao quilómetro 6. Com um total de 18 ciclistas, apenas as equipas da LPR Brakes e Xacobeo-Galicia não se fizeram representar na frente, a fuga conseguiu atingir uma vantágem máxima, de sensivelmente 11.36 m., antes da meta volante de Estarreja. Após a discussão do prémio de montanha, em Talhadas (3ª categoria), o ucraniano da Contentpolis-AMPO salta do grupo fugitivo, de forma a conseguir uma vitória, que caso a fuga fosse com todos os elementos para a linha de meta, o ciclista não teria qualquer hipótese. Assim, à falta de 40 quilómetros ataca, e Pedro Lopes (Centro Ciclismo de Loulé-Louletano-Aquashow), Helder Oliveira (Barbot-Siper) e Martin Hebik (PSK-Whirlpool) seguem-no, mas nunca conseguindo diminuir muito a vantagem face ao ciclista da equipa espanhola. Depois destes ataques, o grupo fragmentou-se em mais três grupos: um pequeno grupo constituido por Simon Clarke (ISD) e Dirk Bellemakers (Landbouwkrediet-Colnago), outro constituido por Javier Ramirez (Andalucia-Cajasur) e Ruben Reig (Contentpolis-AMPO), e depois o que restava do grupo fugitivo inicial: Krassimir Vassilev (Palmeiras resort-Tavira), Filipe Cardoso (Liberty Seguros), Celestino Pinho (LA-Rota dos Móveis), Sérgio Sousa e Célio Sousa (Madeinox-Boavista), Sergio Ribeiro (Barbot-Siper), Marco Marzano (Lampre-NGC) e Tomas Buchacek (PSK-Whirlpool). O ciclista da Contentpolis-AMPO, Oleg Chuhzda viu ser premiada a sua combatividade durante esta Volta, ele que tem sido um dos protagosnistas da luta pela classificação da montanha, e por isso, tem-se apresentado em inúmeras fugas. Agora está no 5º posto da classificação geral individual e vai para a etapa da Torre, de camisola laranja vestida, símbolo da classificação da Juventude. O pelotão apresentou-se em gestão de esforço para a etapa que terão que enfrentar no dia de amanhã, que será uma das mais dificeis desta Volta a Portugal, e chegaria a Aveiro com quase 5 minutos de desvantagem.

aveiro

Classificações Completas:

Classificação da 8ª etapa:

1º  99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO     4:14:11   10″
2º  46  OLIVEIRA, Helder        POR  BARBOT-SIPER         a     49    6″
3º 135  HEBIK, Martin           CZE  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR a     49    4″
4º  56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO a     51      
5º 111  RAMIREZ, Javier         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR    a  02:00      
6º  96  REIG, Ruben             ESP  CONTENTPOLIS-AMPO    a  02:00      
7º 125  BELLEMAKERS, Dirk       NED  Landbouwkrediet-COLN a  02:26      
8º  74  CLARKE, Simon           AUS  ISD-NERI             a  02:26      
9º  28  PINHO, Celestino        POR  L.A. – ROTA DOS  MOV a  02:37      
10º  69  MARZANO, Marco          ITA  LAMPRE – N.G.C.      a  02:37     

Classificação Geral Individual:

1º  15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS          36:09:47
2º  51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a       07
3º  44  BERNABEU, David         ESP  BARBOT-SIPER           a       57
4º 131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR   a    01:32
5º  99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO      a    01:37
6º   6  CARDOSO, Andre          POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:38
7º  56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a    01:41
8º   1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:47
9º   3  VITORINO, Nelson        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:49
10º  52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a    01:53

Classificação dos Pontos:

1º    2  BARBOSA, Candido        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI  81 P.
2º  132  HONDO, Danilo           GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  62 P.
3º   64  SANTAMBROGIO, Mauro     ITA  LAMPRE – N.G.C.       54 P.
4º   18  CARDOSO, Manuel         POR  LIBERTY SEGUROS       50 P.
5º   56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  47 P.
6º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO     43 P.
7º  131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  36 P.
8º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       33 P.
9º   52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO  32 P.
10º   13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS       31 P.

Classificação da Montanha:

1º   35  SOUSA, Sergio           POR  MADEINOX BOAVISTA     34 P.
2º   46  OLIVEIRA, Helder        POR  BARBOT-SIPER          31 P.
3º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO     29 P.
4º   56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  18 P.
5º   87  SALERNO, Cristiano      ITA  LPR BRAKES            18 P.
6º   51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  17 P.
7º   22  ZABALLA, Constantino    ESP  L.A. – ROTA DOS  MOV  17 P.
8º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       16 P.
9º  138  MARES, Martin           CZE  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  15 P.
10º  131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  14 P.

Classificação da Juventude:

1º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO         
2º   31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA         
3º   39  ROCHA, Nelson           POR  MADEINOX BOAVISTA         
4º   17  RODRIGUES, Vitor        POR  LIBERTY SEGUROS           
5º  115  ROLDAN, Jose L.         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
6º   87  SALERNO, Cristiano      ITA  LPR BRAKES                
7º   96  REIG, Ruben             ESP  CONTENTPOLIS-AMPO         
8º   55  SILVA, Daniel           POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO      
9º   88  CARUSO, Damiano         ITA  LPR BRAKES                
10º  113  PIEDRA, Antonio         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         

Classificação por equipas:

 1º  C.C.LOULÉ- LOULETANO         CCL  108:31:26
2º  PALMEIRAS RESORT-PRIO        PRT  108:31:34
3º  BARBOT-SIPER                 BSP  108:31:44
4º  LIBERTY SEGUROS              LSE  108:32:56
5º  L.A. – ROTA DOS  MOVEIS      FRM  108:36:12
6º  MADEINOX BOAVISTA            MAD  108:39:03
7º  LAMPRE – N.G.C.              LAM  108:42:21
8º  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR         PSK  108:44:34
9º  ANDALUCIA-CAJASUR            ACA  108:56:07
10º  LPR BRAKES                   LPR  109:08:55
11º  CONTENTPOLIS-AMPO            MCO  109:09:52
12º  Landbouwkrediet-COLNAGO      LAN  109:13:32
13º  ISD-NERI                     ISD  109:16:17
14º  XACOBEO GALICIA              XAC  109:29:13

(FOTOS:PAD) 

8ª etapa: última oportunidade para os “sprinters” em Aveiro 14/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

A etapa número 8 da Volta a Portugal vai começar na cidade de Gondomar e após 166,1 quilómetros terminar na cidade de Aveiro, numa ligação que antecede a etapa-rainha da prova, onde os ciclistas vão subir ao alto do Carrazedo e da Torre. Mas no dia de hoje, será uma etapa propicia aos roladores, já que a etapa terá apenas uma contagem de 3ª categoria, em Talhadas, ao quilómetro 113,5, e sobretudo aos sprinters que terão na chegada a Aveiro a oportunidade ideal para vencerem uma tirada nesta Volta, como por exemplo, Alessandro Petacchi, que tanto ele como a própria equipa não venceram nesta esição da prova.

 8etapa

De referir que nesta etapa existirá, novamente, uma chegada em circuito, ou seja, os ciclistas irão fazer uma primeira passagem pela meta, até para reconhecimento da chegada e depois é que irão fazer a passagem final, num circuito de 8 quilómetros. Ataques e fugas irão animar a etapa e preencher o protagonismo da maioria da tirada, contudo, no final serão as equipas dos “sprinters” a lutar pela tirada e a conseguir a vitória final. Por isso, no que diz respeito à classificação geral, não existirá diferenças nem alterações na classificação geral.

 aveiro

Curiosidades:

  1. 4-4 é o saldo de vitórias entre portugueses e estrangeiros nesta edição. A chegada a Aveiro vai “desempatar” esta questão para um dos lados da balança.
  2. Nas últimas quatro edições que houve etapas na Torre, a etapa que antecedia, terminou sempre com chegada ao “sprint”

Prognóstico: Alessandro Petacchi (LPR Brakes)

Danilo Hondo vence etapa em São João de Madeira 13/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

A cidade de São João da Madeira viu o alemão Danilo Hondo (PSK-Whirlpool) levar a melhor sobre Cândido Barbosa (Liberty Seguros) e Mauro Santambrogio (Lampre-NGC), e assim, consegue a 2ª vitória em etapas para a equipa checa, o que tem revelado o nivel exibicional que a equipa tem demonstrado nesta Volta a Portugal. Mas esta etapa revelou-se tão dificil quanto às restantes,  e nem o pelotão conseguiu chegar compacto à passagem final pela linha de meta, fruto da imposição de ritmo por parte de Isidro Nozal, na subida inserida no circuito final, no alto do Codal (3ª categoria), localizada nos últimos 8 quilómetros, o que fez com que houvesse imensos cortes e permitiu restringir o lote de ciclistas que poderiam lutar pela vitória na etapa. Depois de ter incorporado a fuga principal, Danilo Hondo (PSK-Whirlpool) ainda conseguiu ter forças para arrancar para o “sprint” e ser o melhor na chegada a São João da Madeira.

sjmadeira

Como sempre, uma fuga “animou” a etapa, onde se encontravam 12 ciclistas, formada no quilómetro 48, já depois da primeira montanha do dia, no Alto da Agrela, a qual teve como vencedor, Helder Oliveira (Barbot-Siper), que aproveitou, também, para vencer a contagem de montanha seguinte, de Fagilde (3ª categoria) e encurtar a vantagem para o lider da classificação da montanha, Sergio Sousa (Madeinox-Boavista). Os fugitivos conseguiram uma vantagem máxima de cerca de 5.30m., sendo que foi diminuindo à medida que a meta se aproximava. Após uma primeira passagem pela meta algo atribulada, já que no pelotão, alguns ciclistas enganaram-se ao fazer uma das rotundas e não conseguiram fazer a primeira passagem na meta corretamente, os fugitvos perdiam rapidamente a vantagem até à contagem de montanha, já que numa primeira fase, a Madeinox-Boavista e depois a Liberty Seguros encetaram a perseguição aos fugitivos, e antes da contagem de montanha chegou ao fim a aventura dos protagonistas da tirada, e Isidro Nozal colocou um ritmo forte na cabeça do pelotão, o que fez com que existissem muitos cortes e nem todos se recolocassem na descida, onde a Palmeiras resort-Tavira já trabalhava na frente do pelotão, tendo em vista a vitória de Cândido Barbosa na chegada, o que não aconteceu porque Danilo Hondo esteve imparável. As classificações mantem-se inalteradas, sendo os ciclistas portugueses na frente dos prémios, contudo, desde o dia de descanso que não mais um português venceu uma etapa. Existem mais três etapas pela frente para inverter esta tendência.

podiofinalsjmadeira

Classificações Completas:

Classificação da 7ª etapa:

1º 132  HONDO, Danilo           GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  4:07:04   10″
2º   2  BARBOSA, Candido        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI     mt.     6″
3º  64  SANTAMBROGIO, Mauro     ITA  LAMPRE – N.G.C.          mt.     4″
4º  18  CARDOSO, Manuel         POR  LIBERTY SEGUROS          mt.       
5º  45  RIBEIRO, Sergio         POR  BARBOT-SIPER             mt.       
6º  54  QUITERIO, César         POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO     mt.       
7º  31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA        mt.       
8º 128  AMORISON, Frédéric      BEL  Landbouwkrediet-COLN     mt.       
9º  11  GUERRA, Hector          ESP  LIBERTY SEGUROS          mt.       
10º  23  SABIDO, Hugo            POR  L.A. – ROTA DOS  MOV     mt.      

Classificação Geral Individual:

1º  15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS          31:50:43
2º  51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a       07
3º  44  BERNABEU, David         ESP  BARBOT-SIPER           a       57
4º 131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR   a    01:32
5º   6  CARDOSO, Andre          POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:38
6º   1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:47
7º   3  VITORINO, Nelson        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:49
8º  52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a    01:53
9º  13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS        a    01:54
10º  25  SANTOS, Virgilio        POR  L.A. – ROTA DOS  MOV   a    02:06

Classificação dos Pontos:

1º    2  BARBOSA, Candido        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI  81 P.
2º  132  HONDO, Danilo           GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  62 P.
3º   64  SANTAMBROGIO, Mauro     ITA  LAMPRE – N.G.C.       54 P.
4º   18  CARDOSO, Manuel         POR  LIBERTY SEGUROS       50 P.
5º  131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  36 P.
6º   56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  34 P.
7º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       33 P.
8º   52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO  32 P.
9º   13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS       31 P.
10º  113  PIEDRA, Antonio         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR     28 P.

Classificação da Montanha:

1º   31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA         
2º   39  ROCHA, Nelson           POR  MADEINOX BOAVISTA         
3º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO         
4º   17  RODRIGUES, Vitor        POR  LIBERTY SEGUROS           
5º  115  ROLDAN, Jose L.         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
6º   87  SALERNO, Cristiano      ITA  LPR BRAKES                
7º   55  SILVA, Daniel           POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO      
8º   88  CARUSO, Damiano         ITA  LPR BRAKES                
9º  113  PIEDRA, Antonio         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
10º   96  REIG, Ruben             ESP  CONTENTPOLIS-AMPO

Classificação da Juventude:

1º   31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA         
2º   39  ROCHA, Nelson           POR  MADEINOX BOAVISTA         
3º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO         
4º   17  RODRIGUES, Vitor        POR  LIBERTY SEGUROS           
5º  115  ROLDAN, Jose L.         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
6º   87  SALERNO, Cristiano      ITA  LPR BRAKES                
7º   55  SILVA, Daniel           POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO      
8º   88  CARUSO, Damiano         ITA  LPR BRAKES                
9º  113  PIEDRA, Antonio         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
10º   96  REIG, Ruben             ESP  CONTENTPOLIS-AMPO

Classificação por equipas:

1º  PALMEIRAS RESORT-PRIO        PRT  095:36:10
2º  LIBERTY SEGUROS              LSE  095:37:32
3º  C.C.LOULÉ- LOULETANO         CCL  095:38:16
4º  BARBOT-SIPER                 BSP  095:40:24
5º  L.A. – ROTA DOS  MOVEIS      FRM  095:41:16
6º  MADEINOX BOAVISTA            MAD  095:45:27
7º  LAMPRE – N.G.C.              LAM  095:47:25
8º  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR         PSK  095:53:14
9º  ANDALUCIA-CAJASUR            ACA  096:01:48
10º  LPR BRAKES                   LPR  096:11:43
11º  Landbouwkrediet-COLNAGO      LAN  096:18:47
12º  CONTENTPOLIS-AMPO            MCO  096:20:26
13º  ISD-NERI                     ISD  096:21:32
14º  XACOBEO GALICIA              XAC  096:32:01

(FOTOS:PAD)

7ª etapa: etapa de transição dará numa vitória ao sprint 12/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

A etapa de hoje que vai ligar Póvoa de Varzim a São João da Madeira será uma etapa de transição, visto no dia anterior a Senhora da Assunção ter feito mossa e esta etapa não dispor de condições orográficas que permitam alterações na classificação geral individual. Contudo será uma etapa de dificil controlo, já que será uma etapa “rompe-pernas”, com relativo sobe e desce na maior parte da tirada e, que por isso, irá criar dificuldades que não recuperaram tão bem da etapa anterior e dos dias percorridos de Volta. Uma etapa relativamente curta e que se espera com muitas ataques na parte inicial de forma a conseguirem entrarem na fuga certa, porque as oportunidades de vencerem uma etapa escasseiam e , para muitos ciclistas, esta etapa e a seguinte será a próxima.

 7etapa

Os 161,8 quilómetros irão passar por terrenos de média montanha, como provam a existência de três contagens de montanha de 3ª categoria: o Alto de Agrela ao quilómetro 37,6, o alto de Fagilde ao quilómetro 114, e em Codal, presente no circuito final, ao quilómetro 154,1, e que poderá ser um local que poderá ser aproveitado por algum ciclista para alcançar a vitória em São João da Madeira.

 sjmadeira

Em relação aos primeiros da classificação geral individual não existirá qualquer alteração, porque na cidade do calçado vai existir uma chegada ao “sprint”, isto porque as equipas que dispõem de ciclistas rápidos não vão deixar que algum ciclista chegue isolado a São João da Madeira.

Curiosidades:

  1. Nas últimas chegadas da Volta a São João da Madeira, apenas Carlos Nozal conseguiu alcançar vitória isolado.
  2. Nesta etapa só houve um ano em que houve alterações na classificação geral: em 2005 quando Nozal venceu isolado, Lizuarte Martins vestia a amarela.

Prognóstico: Manuel Cardoso (Liberty Seguros)

Assunção consagra Jimenez e reduz lote de candidatos à vitória 12/08/2009

Posted by Bruno Freitas in Sem categoria.
add a comment

Eladio Jimenez foi o melhor ciclista na subida ao Santuário da Nossa Senhora da Assunção e, por isso, venceu a 6ª etapa da Volta a Portugal que ligou Fafe à subida de Santo Tirso. O espanhol deu à sua equipa, o Centro Ciclismo de Loulé-Louletano-Aquashow, a segunda vitória nesta Volta a Portugal, o que demonstra a qualidade da Volta que estão a efectuar. Contudo, esta etapa foi importante na medida em que dois ciclistas saíram dos dez primeiros classificados, o ucraniano Ruslan Pidgornyy (ISD-Neri) e o português Hugo Sabido (LA-Rota dos Móveis), os quais foram substituidos pelo vencedor da etapa, que está na 9º posição, e no 10º lugar está o português Virgilio Santos, da LA-Rota dos Móveis. A sua saída dos 10 primeiros compromete uma possivel vitória na Volta a Portugal.

 

Que grande Volta do CC Loulé-Louletano-Aquashow: duas vitórias e dois ciclistas nos dez primeiros

Que grande Volta do CC Loulé-Louletano-Aquashow: duas vitórias e dois ciclistas nos dez primeiros

No que diz respeito à história da etapa, uma fuga de 11 elementos logrou vantagem face ao pelotão desde o quilómetro 12, ao qual se juntou Alejandro Marque, da Palmeiras resort-Tavira, mais tarde. Os fugitivos não conseguiram uma vantagem maior que 4.30 minutos, o que fazia com que Bruno Pinto (Barbot-Siper), que se encontrava no grupo de fugitivos, atacasse para que em solitário conseguisse aumentar essa mesma vantagem. O que não conseguiu até porque à medida que se aproximava a chegada, a vantagem do grupo em relação ao pelotão fosse diminuindo. E a Barbot-Siper se não conseguira com Bruno Pinto, tentou com Bruno Castanheira, que desta vez, levou a companhia de um ciclista checo da PSK-Whirlpool, Leopold Konig. Com muita combatividade levaram a fuga até à entrada de Santo Tirso, já que as equipas da Lampre-NGC e da Liberty Seguros encetavam a perseguição na cabeça do pelotão. Uma queda no pelotão antes de chegarem à cidade de Santo Tirso levou a que homens bem posicionados na geral como Ruslan Pidgornyy (ISD-Neri) e Hugo Sabido (LA-Rota dos Móveis). E nos paralelos de Santo Tirso, Nuno Ribeiro consegue 2 segundos de bonificação na meta volante, o que lhe permitia ampliar a vantagem para os candidatos, antes da chegada à Senhora da Assunção. E a partir da meta volante, tudo se iria decidir com a subida de cerca de 6 quilómetros ao Alto da Nossa Senhora da Assunção a fazer as primeiras vitimas, como Damiano Cunego (Lampre-NGC), logo nas rampas iniciais. Bruno Pires (Barbot-Siper) ainda conseguiu adiantar-se em relação ao grupo principal, contudo, após vários ataques no grupo principal, viria a ser apanhado pelo grupo, e Eladio Jimenez (CC Loulé-Louletano-Aquashow) aproveitou uma das rampas mais acessiveis da subida para alargar a vantagem e depois até final, manter a distância face ao grupo dos favoritos, onde vieram os principais ciclistas da Volta a Portugal à excepção dos já referidos Pidgornyy e Sabido. Espanha consegue a preença completa no pódio da etapa, com a primeira vitória de um estrangeiro nesta mesma escalada, por Eladio Jimenez, o 2º classificado foi Ruben Plaza, da Liberty Seguros e o chefe de fila da Palmeiras resort-Tavira ficou na 3º posição.

 sraassunção

Classificações Completas:

Classificação da 6ª etapa:

1º  52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO  4:21:09   10″
2º  13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS      a     12    6″
3º   1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI a     14    4″
4º  63  TIRALONGO, Paolo        ITA  LAMPRE – N.G.C.      a     14      
5º  15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS      a     14      
6º  25  SANTOS, Virgilio        POR  L.A. – ROTA DOS  MOV a     17      
7º  22  ZABALLA, Constantino    ESP  L.A. – ROTA DOS  MOV a     17      
8º  31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA    a     17      
9º  51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO a     17      
10º 131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR a     22     

Classificação Geral Individual:

1º  15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS          27:43:39
2º  51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a       07
3º  44  BERNABEU, David         ESP  BARBOT-SIPER           a       57
4º 131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR   a    01:32
5º   6  CARDOSO, Andre          POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:38
6º   1  BLANCO, David           ESP  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:47
7º   3  VITORINO, Nelson        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI   a    01:49
8º  52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO   a    01:53
9º  13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS        a    01:54
10º  25  SANTOS, Virgilio        POR  L.A. – ROTA DOS  MOV   a    02:06

Classificação dos Pontos:

1º    2  BARBOSA, Candido        POR  PALMEIRAS RESORT-PRI  61 P.
2º   64  SANTAMBROGIO, Mauro     ITA  LAMPRE – N.G.C.       38 P.
3º   18  CARDOSO, Manuel         POR  LIBERTY SEGUROS       37 P.
4º  132  HONDO, Danilo           GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  37 P.
5º  131  SINKEWITZ, Patrik       GER  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  36 P.
6º   56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  34 P.
7º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       33 P.
8º   52  JIMENEZ, Eladio         ESP  C.C.LOULÉ- LOULETANO  32 P.
9º   13  PLAZA, Ruben            ESP  LIBERTY SEGUROS       31 P.
10º  113  PIEDRA, Antonio         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR     28 P.

Classificação da Montanha:

1º   35  SOUSA, Sergio           POR  MADEINOX BOAVISTA     32 P.
2º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO     24 P.
3º   46  OLIVEIRA, Helder        POR  BARBOT-SIPER          21 P.
4º   56  LOPES, Pedro            POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  18 P.
5º   87  SALERNO, Cristiano      ITA  LPR BRAKES            18 P.
6º   51  CABREIRA, Joäo          POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO  17 P.
7º   15  RIBEIRO, Nuno           POR  LIBERTY SEGUROS       15 P.
8º  138  MARES, Martin           CZE  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR  15 P.
9º   28  PINHO, Celestino        POR  L.A. – ROTA DOS  MOV  14 P.
10º   22  ZABALLA, Constantino    ESP  L.A. – ROTA DOS  MOV  14 P.

Classificação da Juventude:

1º   31  MACHADO, Tiago          POR  MADEINOX BOAVISTA         
2º   39  ROCHA, Nelson           POR  MADEINOX BOAVISTA         
3º   99  CHUZHDA, Oleg           UKR  CONTENTPOLIS-AMPO         
4º   17  RODRIGUES, Vitor        POR  LIBERTY SEGUROS           
5º   88  CARUSO, Damiano         ITA  LPR BRAKES                
6º  115  ROLDAN, Jose L.         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
7º   87  SALERNO, Cristiano      ITA  LPR BRAKES                
8º   55  SILVA, Daniel           POR  C.C.LOULÉ- LOULETANO      
9º  113  PIEDRA, Antonio         ESP  ANDALUCIA-CAJASUR         
10º   96  REIG, Ruben             ESP  CONTENTPOLIS-AMPO         

Classificação por equipas:

1º  PALMEIRAS RESORT-PRIO        PRT  083:14:58
2º  LIBERTY SEGUROS              LSE  083:16:20
3º  C.C.LOULÉ- LOULETANO         CCL  083:17:04
4º  BARBOT-SIPER                 BSP  083:19:12
5º  L.A. – ROTA DOS  MOVEIS      FRM  083:20:04
6º  MADEINOX BOAVISTA            MAD  083:24:15
7º  LAMPRE – N.G.C.              LAM  083:25:17
8º  PSK WHIRLPOOL-AUTHOR         PSK  083:32:02
9º  ANDALUCIA-CAJASUR            ACA  083:40:14
10º  LPR BRAKES                   LPR  083:46:26
11º  ISD-NERI                     ISD  083:54:44
12º  Landbouwkrediet-COLNAGO      LAN  083:57:13
13º  CONTENTPOLIS-AMPO            MCO  083:58:57
14º  XACOBEO GALICIA              XAC  084:10:49

(FOTOS:PAD)